Aula 10: Entrevista

Ainda permeando a atividade onde deveríamos escolher uma escola e realizar uma profunda análise em relação as taxas de rendimento, o professor solicitou que entrevistássemos alunos da escola escolhida a cerca do tema reprovação. Decidi realizar minha entrevista com uma aluna do 9º ano, da escola E.M. Expedicionário Aquino de Araújo e decidi focar nesta nela pela sua permanência na escola, apesar das reprovações, e pela sua idade.

Segue abaixo algumas das perguntas que fiz.

Quantos anos você tem?

21 anos.

Quantas vezes você já ficou reprovado(a)?

Algumas. Já nem lembro todas (às vezes).

Como você se sentiu da primeira vez?

Preocupada, mas eu sabia que isso podia acontecer. Quando foi acontecendo de novo eu já fui acostumando. Eu tenho alguma coisa que faz ser difícil aprender, eu sentia isso e depois me disseram.

E os seus pais, como se sentiram?

Minha mãe ficou triste na primeira vez, mas acostumou depois. Ela sabe dos meus problemas.

Fizeram alguma coisa pra te ajudar – a escola e sua família, por exemplo?

Minha mãe ficou dizendo pra eu estudar mais, pegou no meu pé, só que não teve muito jeito, eu sou assim mesmo. Na escola também chegaram a me ajudar mas depois da segunda vez acho que começaram a cansar, mas os professores gostam de mim, sabem que não faço por querer.

A aluna entrevistada, que chamarei de A., relatou em conversas prévias que começou a estudar já “grande”, ou seja, começou seus estudos com idade já avançada e por conta disso sempre estudou com pessoas mais novas que ela. Disse também que apesar de estranho ser sempre a mais velha, acabou se adaptando.

Foi possível perceber que apesar de todos os esforços, a aluna chamou pra si a responsabilidade dos seus fracassos e todos ao seu redor parecem ter abraçado a ideia junto com ela.

Como A. relatou, os professores demostravam um bom relacionamento com a aluna e se existe realmente algum problema cognitivo com a mesma, por hora, ele parece ter sido deixado de lado. Ao fim da nossa conversa, A. revelou que enquanto puder continuar indo a escola, ela irá, porque de acordo com ela “Mesmo que seja difícil pra mim, prefiro ficar aqui do que em casa. Conheço todo mundo na escola, gosto dos meus amigos e sinto que apesar das minhas dificuldades, todo mundo também gosta de mim!”.

Até o próximo post,
assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s